A abordagem Pikler-Lóczy - Autonomia, confiança e afetos dos 0 aos 3

A abordagem Pikler-Lóczy - Autonomia, confiança e afetos dos 0 aos 3




As Mommy Talks com assinatura da Essence Prime Care estão de regresso, no dia 16 de Outubro e podem fazer aqui a vossa inscrição. Espera-nos mais um ciclo de conferências, partilha (e mimos!) que ajudam a cada etapa de desenvolvimento da mamã, do casal e do bebé. 


Com tanta riqueza de disciplinas e tantas abordagens diferentes, é fácil descobrir o que mais sentido faz para cada família. Um dos convites desta edição é conhecer melhor a abordagem Pikler-Lóczy e saber como é que as famílias podem beneficiar desta forma de proporcionar um crescimento autónomo e pleno do bebé. 

Falámos com Dulce Cruz, oradora do evento, designer e ativista pelos direitos dos bebés, sobre os méritos desta abordagem Pikler-Lóczy. 



Costumamos dizer que o colo é o habitat natural do bebé, concorda connosco?


Sim, sem dúvida que o colo é o habitat natural do bebé. Assim que sai da barriga da mãe, o bebé precisa de contacto de pele com pele, precisa da amamentação, precisa da proximidade para se sentir seguro, seja da mãe, seja dos cuidadores que lhe podem dar colo. O colo é a melhor ferramenta para criar um vínculo seguro. 

O que eu defendo também é que, à medida que o bebé vai crescendo, possa ter oportunidade para estar consigo mesmo, para descobrir o que o rodeia. Possa ter tempo no chão. Costumo dizer que os bebés se desenvolvem entre o colo e o chão, entre a dependência natural que têm do seu cuidador, e a capacidade natural que têm para explorar o mundo.   



Em que consiste a abordagem Pikler-Lóczy e como a apresenta pela primeira vez aos pais?


Eu descobri a abordagem Pikler quando a Sara tinha cerca de cinco meses. Ela revelava uma destreza motora que eu nunca tinha visto nos bebés (e eu própria não era assim) e isso levou-me a querer saber mais.

Comecei a pesquisar e facilmente descobri a abordagem Pikler, até porque é a única pedagogia que se centra, desde o início, exclusiva e profundamente, na faixa etária zero-três. 

Foi a partir deste vector da motricidade livre (ou desenvolvimento motor livre) que descobrir esta abordagem e que comecei a aprofundar a investigação. Mais tarde, apaixonei-me também pela forma como esta abordagem vê o brincar do bebé e pela forma como entende os cuidados do bebé. 

Trata-se sobretudo de como olhamos para o bebé. Nesta abordagem o bebé é compreendido como uma pessoa desde o dia em que nasce, que tem as suas competências desde o dia em que nasce.

 

A abordagem Pikler-Lóczy pede que olhemos para o bebé percebendo aquilo que  ele já sabe fazer, deixando de olhar para ele como um ser incapaz, absolutamente dependente, que precisa do adulto para tudo, alguém a quem não é dada a oportunidade de desenvolver a sua autonomia, porque é privado daquilo que faria naturalmente. 

Esta abordagem também chama muito a atenção para a qualidade dos cuidados do bebé e para a importância que damos a esses cuidados. Seja a muda da fralda, a roupa, o banho ou a alimentação, é importante perceber como é que, durante estes cuidados, podemos estar a estabelecer uma relação de confiança, seja na família, seja no contexto institucional. Isto porque, efectivamente a abordagem Pikler-Lóczy nasceu num orfanato e desenvolveu-se em contexto de instituição, mas tem conteúdos também para as famílias. 

O meu trabalho é sobretudo esse. É traduzir aquilo que ao longo do tempo esta abordagem foi defendendo, registando e catalogando, para a linguagem das famílias, é perceber o que, de certa forma, ela nos pode ensinar. 

Hoje em dia o Lóczy já não é um orfanato, é uma creche onde há inclusivamente acompanhamento de famílias, em grupos de mães, pais e bebés, e também oferece consultoria. No entanto, ainda é uma abordagem muito virada para o contexto institucional. 

Portanto o meu trabalho é perceber para que é que isto nos serve. O que é que podemos retirar daqui? O que faço é colocar em cima da mesa algumas reflexões, que eu considero extremamente importantes, sobre o que eu fui descobrindo, o que fui usando e fui comprovando, que nos podem empoderar, que nos podem tornar mães e pais mais presentes, mais despreocupados e mais respeitadores.           


Onde é possível saber mais sobre a abordagem Pikler-Lóczy e o seu trabalho?

Actualmente é possível acompanhar através dos workshops, que são o meu legado para as famílias. Os workshops são preparados a partir daquilo que eu fui aprendendo na minha formação em Lóczy (sem dúvida que quem quer formar-se na abordagem deve ir à fonte, que é Lóczy.) 

As famílias que querem ir aprendendo mais podem fazer estes workshops, podem entrar na comunidade Erva-daninha que está o Patreon, e podem acompanhar no meu Instagram, onde eu estou sempre a falar e a partilhar aquilo que sei, em @erva_dulce



Não perca a entrevista sobre Concepção, Gravidez, Parto e Pós-Parto com Filipa Teles, diretora da Essence Prime Care. 

Saibam mais sobre a edição 2021 da Mommy Talks aqui


Joana Ramalho, também oradora da edição 2021 da Mommy Talks, falou com a Pulguinhas sobre o método Montessori que coloca a criança como agente principal do seu próprio desenvolvimento.

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios

Nome:
E-mail: (Não público)
Comentário:
Type Code

Categorias do Blog

Artigos populares

Artigos recentes

Procurar no Blog

Arquivo do Blog