Parentalidade e Mindfulness, como aprender a lidar com o stress

Parentalidade e Mindfulness, como aprender a lidar com o stress



Todos temos momentos de desespero no dia a dia com bebés. Seja por uma birra fora de horas ou por uma sessão de gritaria que nos deixa com nervos em franja, há alturas em precisamos de reunir todas as forças para, como diz a expressão popular, não perdermos a cabeça. Mindful Moment é um programa parental online que ajuda as mães a encontrarem o equilíbrio das emoções no pós-parto, ajudando-as a lidar conscientemente com o stress e com os desafios do dia a dia com o bebé. Participem no estudo, disponível AQUI  e saibam como a parentalidade consciente pode ser trazida à prática, resultando numa família mais feliz com a ajuda de Daniela Fernandes, Psicóloga Clínica e investigadora do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental da Universidade de Coimbra.







Temos hoje um maior problema com os níveis de stress de mães e pais?


Embora o nascimento de um filho seja um momento de grande felicidade, é também um período de grande adaptação para os pais. Este período abrange várias tarefas de desenvolvimento com desafios e reorganizações a vários níveis (por exemplo, mudanças radicais nas rotinas dos pais e da família, fadiga, privação de sono). Além disso, é um período também pautado de grandes desafios psicológicos e emocionais (por exemplo, o desafio de regular os estados emocionais do bebé e os próprios estados internos dos pais; a criação de uma identidade, associada ao novo papel desempenhado, como mãe ou pai). Estes desafios geralmente aumentam os níveis de stress e a probabilidade de os pais desenvolverem problemas de saúde mental, como por exemplo, sintomas depressivos e ansiosos.
Importa referir que mesmo as mães e os pais que não experienciam níveis elevados de stress ou psicopatologia, encontram frequentemente dificuldades em ajustar-se ao novo papel parental, durante o período pós-parto.
Para além de todas as exigências associadas ao período pós-parto, atualmente, as mães e os pais enfrentam um contexto pandémico. De facto, a pandemia por COVID-19 afetou a vida das pessoas em diferentes níveis, começando nas primeiras horas e dias após o nascimento de um filho. Ao longo deste último ano, em Portugal, as orientações governamentais dadas ao nível da gravidez, parto e pós-parto, foram inconsistentes. Além disso, os inúmeros desafios éticos para as equipas clínicas, que tentaram equilibrar os direitos dos pais com a mitigação dos riscos para o bebé, resultaram na variação das práticas adotadas em diferentes zonas do país, o que, claro, poderá ter contribuído para potenciar os níveis de stress das mães e dos pais. O stress parece ter sido ainda intensificado devido às medidas preventivas adotadas, como a quarentena, o distanciamento físico e o isolamento.








Como podemos identificar sinais de que é preciso ajuda?

A experiência de stress acontece quando um indivíduo avalia que determinada situação contém exigências significativas para o seu bem-estar, e avalia que não dispõem dos recursos necessários para responder a essas exigências. A resposta de stress acontece como uma consequência dessa avaliação, e pode incluir sinais e sintomas variados. Ao nível fisiológico, por exemplo, poderão existir alterações do sono, taquicardia; a nível psicológico poderão existir perturbações da memória e concentração, irritabilidade, tristeza e melancolia. Mas os sinais poderão ser muito distintos de pessoa para pessoa.
O stress parental, especificamente, diz respeito a uma reação psicológica aversiva às exigências do papel de mãe ou pai, e engloba dificuldades de adaptação ao papel parental. De facto, no período pós-parto, as novas tarefas e exigências podem exceder os recursos percebidos pelas mães e pelos pais, levando a dificuldades de adaptação à parentalidade.
É importante que as mães e os pais estejam atentos à sua proximidade com o bebé ou a criança, à satisfação com o seu papel parental, às emoções (positivas ou negativas) relacionadas com a parentalidade, e às dificuldades sentidas na interação com o bebé/criança.
Alguns estudos têm ainda sugerido que o stress parental poderá ser considerado um fator de risco para o desenvolvimento de Depressão Pós-Parto. Assim, é essencial que os pais estejam informados e atentos a alguns dos sinais e sintomas referidos e que, se sentirem que se encontram a sofrer intensamente de perturbação emocional, como depressão ou ansiedade acentuadas, procurem ajuda especializada, junto do seu Médico de Família ou de um Profissional de Saúde Mental.







Em que consiste a aplicação do conceito de mindfulness à parentalidade?

O conceito de mindfulness traduzido para português poderá denominar-se “Atenção Plena”. O mindfulness é definido por Kabat-Zinn (1994) como “a capacidade de prestar atenção de uma forma particular: intencionalmente, no momento presente e sem julgamento”. A parentalidade mindful, ou parentalidade consciente, por sua vez, é uma das mais recentes aplicações do mindfulness, que se caracteriza por ser uma abordagem parental baseada nos princípios e nas práticas de mindfulness.
A parentalidade mindful não é simplesmente um novo conjunto de competências; é uma nova orientação epistemológica que pode ser definida através de cinco aspetos centrais, relevantes para a qualidade da relação mãe/pai-filhos:


Ouvir com atenção plena, isto é, promover a consciência da mãe/pai da parentalidade em piloto automático, durante as interações diárias com os seus filhos e, principalmente, quando se encontram a experienciar uma situação indutora de stress, para que sejam capazes de direcionar a sua atenção para os seus filhos, estando verdadeiramente presentes;


Aceitação do eu e da criança sem julgamento, isto é, desenvolver aquilo a que chamamos de “mente de principiante”, ou seja, observar-se a si e aos seus filhos como se nunca o tivessem observado, fora do modo de “piloto automático”, sem preconceitos. Muitas vezes, os pais descobrem qualidades positivas em si e nos filhos que tinham esquecido devido ao foco nas suas dificuldades;


Consciência dos estados emocionais do eu e da criança, isto é, promover nas mães e nos pais a consciência das suas sensações corporais quando estão no exercício da parentalidade, experimentando sensações de prazer ou stress parental, pois quando os pais são capazes de identificar as próprias emoções e as emoções dos filhos, eles serão capazes de fazer escolhas conscientes sobre como responder, ao invés de reagir automaticamente a essas experiências emocionais;


Autorregulação na relação de parentalidade, isto é, aprender a responder ao stress parental tomando consciência dele, no corpo, e aceitando-o, em vez de o evitar; os pais aprendem a explorar a variedade de reações automáticas que ocorrem quando a resposta ao stress por luta-fuga-congelamento é acionada; a consciência mindful é um espaço de respiração que poderá ajuda a sair dessas reações automáticas quando os pais estão sob stress;


Autocompaixão e compaixão pela criança, isto é, desejar satisfazer as necessidades do seu filho e de confortar a angústia que ele possa estar a sentir, assim como a angústia experienciada pela própria mãe/pai; a autocompaixão permite que os pais assumam uma visão menos dura e de maior perdão relativamente aos seus próprios esforços parentais.



A aplicação na parentalidade de uma consciência não-julgadora e intencionalmente focada no momento presente e a adoção de uma atitude compassiva, podem ser consideradas as principais características dos pais conscientes/mindful que a distinguem de outras práticas parentais positivas. De facto, incorporar o conceito de mindfulness nas interações parentais pode permitir que os pais parem e fundamentalmente mudem a sua consciência e atenção para ver a sua experiência parental no momento presente, no contexto da relação que têm com os seus filhos, assim como dar atenção às necessidades dos seus filhos.
A investigação tem sugerido que tanto o mindfulness como a parentalidade mindful são potenciais recursos psicológicos no processo de coping e stress, estando associados a numerosos resultados positivos, tais como práticas parentais mais positivas, uma relação mãe/pai-filho mais positiva, uma maior flexibilidade e responsividade na relação parental, níveis inferiores de stress parental, um maior envolvimento parental nos cuidados da criança e aumento do bem-estar e saúde mental das mães.







Como é a vossa abordagem?


O Mindful Moment é um programa interativo de autoajuda, que pretende disponibilizar estratégias promotoras de saúde mental e de uma parentalidade mindful ou consciente, a mães que se encontrem no período pós-parto.
Este programa foi desenvolvido por uma equipa de psicólogas clínicas e investigadoras do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC) da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.
Todos os conteúdos e exercícios do Mindful Moment são baseados na Terapia Cognitivo-Comportamental, e resultam da investigação sobre a temática da parentalidade mindful/consciente e da experiência clínica das investigadoras com mulheres no período perinatal.
O Mindful Moment organiza-se em 6 módulos. Cada módulo aborda um tema específico e tem uma duração aproximada de uma hora. Em cada módulo as mães poderão ter acesso a material em formato de texto, áudio e vídeo.
No Módulo 1 é dada psicoeducação sobre parentalidade consciente e stress parental, e são disponibilizadas ferramentas para que as mães desenvolvam a sua capacidade de estar atentas e conscientes do momento presente (através da prática de mindfulness). Pretende-se assim, que as mães consigam gerir melhor o stress e adotar uma parentalidade mais mindful ou consciente. No Módulo 2, as mães são convidadas a refletir sobre o modo como veem os seus bebés, e a mudar o foco da sua atenção para os aspetos positivos nele. No Módulo 3, as mães são convidadas a refletir sobre um recurso psicológico fundamental, a autocompaixão. Neste módulo são também disponibilizadas estratégias de autocuidado. No Módulo 4 é dada psicoeducação sobre as diferentes respostas ao stress, que as mães poderão experienciar no exercício do seu papel parental; são ainda disponibilizados exercícios que ajudarão as mães a ser mais responsivas e menos reativas na relação com o bebé. No Módulo 5, as mães são convidadas a refletir sobre a forma como se relacionam com os outros no seu papel de mãe., sendo disponibilizados alguns exercícios que poderão ajudar as mães a pedir ajuda mais eficazmente, e a estar em maior sintonia com os outros, consigo mesmas e com o bebé. Finalmente, no Módulo 6, são disponibilizados estratégias e exercícios para que as mães adotem uma parentalidade consciente para o resto da vida.

- Quais os objetivos deste estudo?
Com o nosso estudo pretendemos avaliar a eficácia do Mindful Moment, que é um programa parental online, desenvolvido para a população portuguesa, que pretende disponibilizar estratégias promotoras da saúde mental e de uma parentalidade mindful ou consciente, a mães que se encontrem no pós-parto, para que possam adaptar-se melhor a esse período, lidar melhor com o stress e estabelecer uma relação mais segura e positiva com o seu bebé.

- Quem pode participar?
Mães, com idade igual ou superior a 18 anos, com um bebé entre os 0 e os 18 meses que, por qualquer motivo, experienciem stress no exercício do seu papel parental e/ou dificuldades na relação que estabelecem com o bebé.

- Onde utilizar?
O Mindful Moment pode ser utilizado preferencialmente no computador, mas também no tablet ou no telemóvel.

- Como participar?
    Para participar, as mães devem aceder ao seguinte link: https://apps.fpce.uc.pt/limesurvey/index.php/431569?lang=pt e preencher um breve questionário. Posteriormente, a equipa de investigação entrará em contacto com as mães.








O que se ganha no dia a dia?


A investigação focada nas intervenções parentais baseadas nos princípios da parentalidade mindful demonstram os inúmeros benefícios destas intervenções: parecem diminuir problemas psicopatológicos na criança e promovem a adaptação psicológica, estão associadas a um número mais elevado de emoções positivas e satisfação parental. Além disso, parecem diminuir o stress geral e o stress parental e a psicopatologia nos pais.
De uma forma geral, as intervenções baseadas na parentalidade mindful englobam vários exercícios cognitivos e experienciais, cujo objetivo é, então, facilitar o estabelecimento de um vínculo seguro entre pais e filhos e o desenvolvimento de competências parentais positivas.
Especificamente, a participação no Mindful Moment pode: 1) constituir um estímulo à reflexão sobre a temática da parentalidade e saúde mental no período pós-parto, levando as participantes a estarem atentas a fatores de risco, sinais de alerta e opções de tratamento disponíveis; 2) contribuir para a promoção de competências parentais e redução do stress parental após o nascimento de um bebé; e 3) disponibilizar aos profissionais de saúde conhecimento científico e um programa de intervenção online, empiricamente validado, contribuindo, assim, para uma melhoria das práticas correntes de avaliação e intervenção no contexto da parentalidade no período pós-parto.


Contactos:
Facebook
Instagram
E-mail: geral.mindfulmoment@gmail.comdaniela_fvf@hotmail.com


Equipa de investigação:

- Daniela Ventura Fernandes, Investigador de referência: Psicóloga Clínica e estudante de Doutoramento do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC) da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, com bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia (SFRH/BD/132588/2017)
- Helena Moreira, Coordenação: Psicóloga Clínica e Professora Auxiliar da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.
- Maria Cristina Canavarro, Coordenação: Psicóloga Clínica e Professora Catedrática da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.

Daniela Ventura Fernandes

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios

Nome:
E-mail: (Não público)
Comentário:
Type Code

Categorias do Blog

Artigos populares

Artigos recentes

Procurar no Blog

Arquivo do Blog