Regras para um dia de praia com o bebé

Regras para um dia de praia com o bebé

 

 

As primeiras idas à praia com o bebé são sempre desafiantes e as dúvidas podem ser muitas. Para ajudar a esclarecer tudo falámos com os especialistas do @pediatria.para.todos e tirámos a limpo tudo o que devemos saber para chapinhar no mar e brincar na areia com toda a segurança!

 

 

A partir de que idade podem as Pulguinhas ir à praia?

 

 

Até aos seis meses os bebés não devem ter grande exposição solar directa, pelo que não devem ir à praia. Entre os seis meses e o ano de idade também é evitável, mas a partir do primeiro ano já podem ir com frequência, desde que sejam cumpridas as recomendações para uma exposição solar segura e adequada.

 

 

 

 

 

Que recomendações de segurança existem?

 

As principais recomendações de segurança relativas à exposição solar são as seguintes:

- Respeitar as horas aconselhadas, evitando as horas de maior radiação UV

- Utilizar um protector solar adequado

- Utilizar roupa quando estão expostos ao sol, para diminuir a área de pele que pode estar sujeita à radiação

- Utilizar chapéu, de preferência com abas

- Utilizar óculos de sol, sempre que a criança tolerar

 

 

 

 

 

Há diferença entre protetores solares? Como escolher?

 

Sim, há bastante diferença.

De um modo geral, podemos dividir os protectores em químicos e minerais ou orgânicos . Os primeiros podem ser utilizados a partir dos dois anos de idade, garantindo apenas que são adequados a crianças e com factor de proteção 50+.

 

Os segundos devem ser utilizados em bebés e crianças até aos dois anos de idade ou então em crianças mais velhas com problemas de pele que assim o indiquem (dermatite atópica, por exemplo). A grande vantagem deste protectores é que não são absorvidos pela pele, pelo que são mais inócuos. Por outro lado, como não são absorvidos, acabam por ser menos agradáveis do ponto de vista cosmético, sendo mais difíceis de espalhar.

 

 

 

 

 

Que horários devem ser seguidos?

 

Segundo as recomendações da direcção-geral da saúde, deve-se evitar a exposição solar entre as 11 e as 17 horas.

 

 

 

 

 

 

Quais são os principais riscos e que “remédios” há para os principais riscos de uma ida à praia com o bebé?

 

Os principais riscos são os seguintes:

 

- Queimaduras

 

O ideal é prevenir as queimaduras solares com os conselhos referidos acima. No entanto, se surgir alguma queimadura, deve aplicar um creme pós-solar ou um creme reparador que contenha vitamina E e, de preferência, também zinco.

 

 

- Picadas de insectos

 

Sempre que possível, as crianças devem usar repelentes de insectos. No entanto, se surgir alguma picada deve-se dar um anti-histamínico, para ajudar a reduzir a inflamação.

 

 

- Picadas de peixe-aranha

 

O veneno do peixe-aranha é muito sensível ao calor, pelo que o ideal é aplicar calor no local. Isso pode ser conseguido colocando o local da picada em água quente ou, se não for possível, encostando à areia quente.

 

 

- Cortes em pedrinhas/conchas

 

As crianças devem explorar e é bom que mexam na areia, pedras, paus e conchas. Deve-se supervisionar para não haver nenhum engasgamento e, se houver algum corte, lavar bem e desinfectar o local afectado.

 

 

 

 

 

 

Que tipo de alimentos são seguros para as Pulguinhas na praia?

 

O primeiro conselho é conservar bem os alimentos, tendo particular cuidado com os alimentos que se estragam com o calor, tais como fiambre, queijo ou iogurtes. Se for possível transportar e conservar em frio podem ser seguros, mas se isso não for possível devem ser evitados.

 

Uma boa opção é sempre a fruta, porque ajuda na hidratação e tem também alguns minerais e vitaminas que são sempre úteis. Se possível, deve-se escolher frutas mais sumarentas, porque para além de serem mais agradáveis de comer com o calor, têm um maior teor de água. Um bom conselho é variar a cor da fruta que se dá às crianças, para treinar também o aspecto visual e motiva-las a experimentar.

 

O pão pode também ser uma boa escolha, desde que se tenha cuidado com o que se coloca dentro dele.

 

Se as crianças forem maiores, os frutos secos podem ser interessantes, tendo apenas o cuidado de supervisionar pelo risco de engasgamento. Nestes casos, deve-se escolher frutos secos sem sal ou açúcar, no seu estado natural.

 

Por fim, uma palavra para a água, que deve estar sempre presente e disponível para as crianças beberem sempre que assim o pretendam.

 

Temos o pediatra sempre à mão. Tenha também seguindo o blog Pediatria para Todos:

 

https://pediatriaparatodos.com/blog/

 

 

 

Contactos:

 

Site: www.pediatriaparatodos.com 


E-mail: info@pediatriaparatodos.com


Facebook: https://www.facebook.com/blogpediatriaparatodos

 
Instagram: https://www.instagram.com/pediatria.para.todos/

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios

Nome:
E-mail: (Não público)
Comentário:
Type Code

Categorias do Blog

Artigos populares

Artigos recentes

Procurar no Blog

Arquivo do Blog