Viagens e férias de avião com o bebé – o que precisamos de saber

Viagens e férias de avião com o bebé – o que precisamos de saber

Foto capa: @Lsribeiro

 

 

As férias com a pulguinha são sempre mais desafiantes – e raramente descansadas. Seguimos já os conselhos dos especialistas com o @Blogpediatriaparatodos e falámos um bocadinho sobre os conselhos para as primeiras férias com o bebé, aqui. Agora espreitamos os cuidados a ter quando as férias, ou outro motivo, nos fazem embarcar em família e partir de avião com a Pulguinha.

 

Embarcar com um bebé pode ser uma ideia assustadora. Sabemos que a nossa Pulguinha é o bebé mais incrível do mundo mas também sabemos que quando resolve abrir a goela é imparável. Imaginar um festival de berreiro a bordo de um avião é meio caminho para pensar em cancelar as férias. As Pulguinhas recém-nascidas não devem viajar de avião, sendo desaconselhado pelo menos durante a primeira semana de vida.

 

Normalmente terá prioridade no embarque e desembarque se estiver com a sua Pulguinha mas lembre-se que, noutros países, esta regra que é já tão natural por cá pode não existir.

 

Antes de comprar as viagens é importante saber quais são as limitações da companhia aérea. Na TAP, por exemplo, cada adulto só pode ter a seu cargo no avião um bebé (até 2 anos) ou um bebé e uma criança (dos 2 aos 11 anos).

 

 

 

A Bagagem

 

Em algumas companhias aéreas o carrinho pode ser levado até à porta do avião e depois entregue à tripulação que se encarregará de lho devolver na chegada ao destino. Outras companhias obrigam a que seja despachado em porão, por isso é bom confirmar antes do check-in.

 

Foto: @Lsribeiro 

 

 

Os horários

 

Aproveite as viagens durante e a noite, sobretudo as longas, para que a Pulguinha possa passar a viagem a dormir. Se conseguir, o voo será mais descansado para todos.

 

 

 

Os lugares

 

É recomendado que entre primeiro para poder sentar-se à vontade, mesmo que isto implique ficar mais tempo já no avião à espera dos outros passageiros. Até aos 2 anos a Pulguinha pode viajar ao colo dos pais, mas se preferir pode comprar um bilhete e pedir uma cadeira de automóvel à companhia aérea ou à agência de viagens. A cadeira deve ter de ser pedida com antecedência e não apenas no dia do voo e será colocada no assento para garantir a segurança durante a viagem.

 

Na TAP é possível aos pais pedir um berço para a Pulguinha até aos 12 meses. Neste caso e por uma questão de limitação de espaço é sempre preciso confirmar com antecedência.  

 

Com berço, no colo ou em lugar próprio, descalce a Pulguinha a bordo, já que os pés podem inchar e causar desconforto.

 

 

Foto:  @tiggylopes

 

 

A alimentação

 

Se a Pulguinha ainda está a amamentar será questão de continuar a fazê-lo sob pedido, de quatro em quatro horas ou conforme o que estipulou com a sua pediatra. Saiba que, caso deseje manter a sua privacidade, o avental de amamentação Pulguinhas está pronto a ser utilizado.

 

As mudanças dos horários e dos ritmos podem ter influência no apetite do bebé. O ideal é não ficar demasiado preocupada com este fenómeno, procurando apenas confirmar que com o regresso à normalidade e à rotina regressa também o apetite normal do bebé.

 

Seja a bordo ou já num outro fuso horário é de tentar manter o mais possível as refeições a que o bebé já se habituou e não forçar a comer.

 

Confirme com a companhia aérea ou agência de viagens quais os alimentos/ refeições para bebé que servem a bordo e quando.

 

Hidratar é muito importante. Mantenha o biberão da água sempre a postos e evite dar água do avião, que é armazenada e não corrente, preferindo garrafas fechadas se for preciso.

 

No aeroporto é permitido levar a alimentação necessária para a Pulguinha durante o voo mas, para controlo de segurança, pode ser pedido que a prove antes de embarcar.

 

Líquidos ou loções só podem ser levados em quantidades até 100ml e dentro de sacos transparentes que possam ser abertos e selados novamente. Contudo, a alimentação do bebé é uma exceção. Consulte aqui a lista do que é permitido na lista da ANA – aeroporto de Lisboa.

 

 

 

 

 

A fralda

 

O espaço a bordo é sempre muito limitado e mudar a fralda pode ser uma complicação. Na eventualidade de não conseguir mudar no WC, a opção será mudar no chão, ou em cima das suas pernas com o auxílio do muda fraldas portátil Pulguinhas. Os bancos que não tenham braços móveis, serão de pouca ajuda. Fale com as hospedeiras ou comissários de bordo do seu voo para descobrir a sua melhor opção.

 

 

 

As Birras

 

Os outros passageiros podem reclamar. Já se sabe que há pessoas mal dispostas em qualquer lugar e mais vale estarmos já prevenidos para esta eventualidade. A irritabilidade de alguns passageiros pode gerar desconforto mas se já souber de antemão que isto pode acontecer, já não será apanhada desprevenida e conseguirá defender-se melhor. Os bebés choram e ponto final. Há que aprender a lidar com isso e de certeza que os tripulantes estarão prontos a vir em seu auxílio caso precise.

 

Dito isto, todas as armas são bem-vindas e o seu arsenal pode contar com tablets, telefones e todos os desenhos animados e jogos que existem. Não há que ter vergonha de entreter o bebé. Tenha apenas atenção a que os equipamentos electrónicos estejam desligados na descolagem e aterragem, conforme indicação da tripulação.

 

Leve a mantinha preferida, ou a fraldinha ó-ó para que a Pulguinha se sinta confortável com o que já lhe é familiar. O seu Sling, seja Wrap ou Pouch, pode ajudar a embalar e acalmar a Pulguinha se for preciso passear no corredor durante o voo.

 

Se estiver sozinho com a Pulguinha, mesmo que esteja a dormir, não a deixe desacompanhada se precisar de ir à casa de banho, por exemplo. Chame sempre um comissário ou hospedeira para a guardar e garantir que não fica sozinha.

 

 

 

 

Foto: @Lsribeiro

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios

Nome:
E-mail: (Não público)
Comentário:
Type Code

Categorias do Blog

Artigos populares

Artigos recentes

Procurar no Blog

Arquivo do Blog