Pulguinhas

Novos produtos

Novos produtos
Todos os novos produtos
13  benefícios do babywearing

13 benefícios do babywearing

Cristiana Rodrigues é Enfermeira especialista em enfermagem de saúde infantil e pediátrica e reuniu os 13 motivos pelos quais recomenda o Sling e o babywearing nas suas consultas de enfermagem com os pais. Adorámos ler e reler todas as vantagens deste colo de amor. Digam-nos se já conheciam todas e se acrescentariam mais alguma.

1

O babywearing reforça o vínculo entre os pais e o bebé. É um método que ajuda a satisfazer a forte necessidade do bebé de se sentir em segurança e de ser pegado ao colo, confortado e acarinhado. Os laços de amor e a cumplicidade ficam reforçados. 

2

O Sling ajuda, também, a regular a temperatura, as frequências cardíaca e respiratória e o crescimento emocional e físico. Um apoio fundamental sobretudo nos primeiros meses em que se vive o período da exterogestação e se dá o primeiro contacto com o mundo exterior.

3

O colo de Sling promove o estabelecimento de uma relação de amamentação bem-sucedida, em parte devido à libertação de ocitocina pelo toque suave do babywearing.

4

O toque e contacto tem muitos benefícios para o neurodesenvolvimento. Há a libertação das chamadas hormonas da felicidade que proporcionam bem-estar e que estimulam o desenvolvimento da inteligência e da inteligência emocional do bebé. 

5

Acredita-se que o contacto continuado de pele com pele ajuda os bebés a regular melhor os seus ritmos circadianos e a distinguir mais depressa a diferença entre o sono noturno e diurno. Isto melhora os donos e acerta os horários do bebé para que entrem em sintonia com os da família. 

6

O babywearing promove o contacto pele a pele, o que faz com que exista redução do choro, tanto na frequência quanto na sua duração e pode, igualmente, melhorar o sono, contribuindo para um acalmar natural do bebé. 

7

Os bebés com cólicas podem ser difíceis de acalmar, mas o movimento obtido ao ser balançado suavemente no babywearing enquanto os pais/cuidadores caminham pode ajudar a acalmá-los, e também os pais/cuidadores se sentem mais tranquilos com o acalmar da dor e desconforto do seu bebé. 

8

Muitos pais de bebés com refluxo passam muito tempo a procurar que fiquem numa posição vertical, que ajude o bebé a acalmar. Por isso, é natural que fiquem com os braços cansados e dores nas costas. Com o babywearing têm um bom suporte na posição vertical, que segura o bebé em permanência e podem assim reduzir a regurgitação e o desconforto do refluxo do bebé, sem ficarem desconfortáveis e com dores.

9

Existem estudos que referem que o movimento que o bebé vive quando está no colo do Sling, segurado pelos pais/cuidador, é um movimento permite que o aparelho de equilíbrio se desenvolva mais rapidamente e isto melhora o desenvolvimento neuromotor e também a força muscular. São posições e movimentos que estimulam um melhor desenvolvimento do controle do pescoço e da cabeça

10

Acredita-se que o babywearing incentiva a sociabilidade do bebé e promove o desenvolvimento da linguagem. Isto ocorre porque o bebé está a ouvir a voz dos pais de perto,  a observar as suas interações com o mundo e com as outras pessoas, sempre de um ponto de vista mais elevado e próximo. O bebé fica no centro da comunicação. 

11

Os estudos também referem que os Slings, quando utilizados corretamente, permitem que o bebé permaneça confortável com as pernas em “forma da letra M” e esta posição ergonómica pode ajudar a prevenir problemas de quadril em crianças com risco de displasia da anca. É uma posição que funciona como uma terapia e que promove o desenvolvimento correto das estruturas do bebé. 

12

Os bebés transportados em babywearing correm menos risco de sofrer de plagiocefalia, ou seja, do achatamento dos ossos do crânio na parte de trás da cabeça, que pode ser agravado por períodos prolongados em que o bebé fica deitado de costas.

13

O colo regular de babywearing leva a uma maior confiança e independência mais tarde na vida, bem como a uma maior resiliência e a uma melhor saúde física a longo prazo. Os benefícios continuam muito para além do tempo do colo. 

Mais sobre Cristiana Rodrigues:

Licenciatura em Enfermagem na ESEL - finalizada em 2016

Mestrado e Pós-Licenciatura em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediatria na ESEL – finalizado em 2021

Enfermeira Especialista em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediatria na pediatria do HGO

autora do projeto Kids Care - apoio na área pre e pós parto em consultório e apoio ao domicílio 

Autora de algumas comunicações livres e posters em congressos nacionais e internacionais;

Autora de um artigo científico na revista sinais vitais em 2021

Autora do 1º prémio do  Near Miss 2020 do centro hospitalar lisboa central – melhor relato de incidente na promoção da segurança do doente.

Orientadora de estudantes em contexto clínico do curso de licenciatura e mestrado.

Instagram: @enf.cristianarodrigues

Email: enfermeira.cristianarodrigues@gmail.com

Deixar um comentário